domingo, 29 de abril de 2018

TABELA DOS FILÓSOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS (Prof. José Antônio Brazão.)



As tabelas acima nasceram como uma brincadeira com a tabela periódica dos elementos, que é estudada na(o) matéria (componente curricular) Química, ao entrar em uma sala de aula cuja aula anterior foi, justamente, Química.

Ela pode ser passada no quadro, ficando bem visível para as turmas de estudantes. 

Ela é fácil de ser entendida.

Não é difícil de ser feita. No computador, professor(a), use o software de escrita, recurso Tabela. Defina o número de colunas e de linhas e elabore. As informações podem ser resumidas a partir dos livros didáticos de Filosofia dos quais você disponha ou que possam ser encontrados na biblioteca da escola. Bons livros de filosofia e da história desta serão de muita utilidade. Você pode criar outras, corrigir as acima expostas, aprimorar.

Ao passar no quadro, professor(a), use canetões ou gizes coloridos, de preferência, para realçar as informações e trazer variações na apresentação. Leve uma tabela periódica dos elementos químicos, daquelas que você pode encontrar na biblioteca da escola. Uma comparação pode ser extremamente enriquecedora do aprendizado, mostrando um pedacinho dos caminhos que levaram ao entendimento da formação do universo a partir de elementos fundamentais. No caso dos pré-socráticos: princípios. Princípio é arqué (arché, arkhé), em grego.

Para quem quer fazer uma revisão rápida para o ENEM, as tabelas acima poderão ser úteis. Para quem gosta de estudar filosofia, são também um bom material.

As três tabelas acima são variações no modo de apresentação do mesmo tema (filosofia pré-socrática).

Elas não substituem o texto original. Professor(a), traga para as turmas trechos selecionados de fragmentos e comentários doxográficos referentes aos primeiros filósofos gregos (pré-socráticos).

As ideias dos primeiros filósofos gregos - chamados pré-socráticos ou físicos (estudiosos da natureza) - levaram a uma abordagem do mundo e da natureza diferente daquela que era apresentada pelos mitos e pelas mitologias. O rompimento com estes não se deu de forma abrupta (de uma vez), mas que foi realizado esse rompimento, de fato, foi. Com isto, surgiu a filosofia.

Quanto ao trabalho com textos dos pré-socráticos, abaixo vão algumas possibilidades didáticas. Há muitas outras, com certeza. O importante é fazer uma ponte entre o passado e o presente, contribuindo para a reflexão filosófica.








segunda-feira, 5 de março de 2018

FILOSOFIA EM POESIA: BIOÉTICA (Prof. José Antônio Brazão.)


As ciências fazem maravilhas,
Descobertas e invenções,
De grandes máquinas a simples pilhas.
Da necessidade e do humano intelecto criações,
Servindo a causas humanitárias,
Mas, às vezes, também sanguinárias.

A genética passos largos avançou
Com do DNA a decifração,
Que descobertas permitiu
Em áreas biológicas forte aplicação:
De alimentos por transgênese gerados
A seres vivos clonados.

A Biologia muitos estudos
Diligentemente tem realizado,
Da estrutura da célula
Ao mundo vivo organizado:
Maravilhas da evolução,
Seres em contínua transformação.

A medicina com muitas curas,
Remédios e tratamentos avançados,
Vacinas de boa ventura
Deixando corpos em bom estado,
O uso médico de aparelhos óticos
E inclusive robóticos.

Desafios éticos há também
Nas naturais e médicas ciências:
A humana possível clonagem,
Perigos de comidas transgênicas,
O lucro-prejuízo da biopirataria,
Até a questão da eutanásia.

Pesquisas com animais,
Em fármaco-químicos laboratórios
Para o controle de efeitos colaterais
De cosméticos a novos remédios,
Impondo preocupações éticas
De naturezas teóricas e práticas.

Do direito de animais
Hoje se fala muito,
Abrindo espaço nas leis,
Em (quase) todo o mundo,
Para sua futura continuação
E os ver cada nova humana geração.

Dos primeiros medicamentos tirados de Gaia
Às bioquímicas manipulações
Incluindo humanas cobaias,
De remédios novas criações,
Da preocupação em fazer direito
Surgem benéficos efeitos.

A biopirataria comércio
De seres vivos a constituir:
Na venda destes um meio
De ilegal riqueza adquirir,
Privando de que explorem
Países rapinados de cada natural bem.

O movimento do mundo acompanha,
Com o ampliar de direitos,
Na medicina de gêneros a mudança,
De certas minorias o respeito
Exigiu grande ética e legal discussão
E consequente nova legislação.

No campo da medicina ainda o estudar
A crença de, em futura geração,
Poder congelados corpos ressuscitar,
Com avançadas técnicas de cura,
Pondo éticas profundas questões
À volta de suas seríssimas implicações.

Os procedimentos clínicos
A garantir a integridade de pacientes,
Ética rigorosa exigem, porquanto são únicos
Homens, crianças e mulheres,
Confiando na excelência dos trabalhos
Daqueles(as) por quem são tratados.

O roubo de biológicas pesquisas
Em nome do econômico poder,
Aliado a intenções políticas,
Põe o desenvolvimento a perder
De novos estudos capazes de ajudar
No entendimento da natura a buscar.

Bioética, por sua vez, a ética da vida é.
Vida presente no mundo.
Ética provêm de ethos: etiké.
Ethos é costume e casa, em conjunto.
Costume, praxe-conduta de valores carregada,
Casa que a vida resguarda.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

FILOSOFIA EM POESIA - IMMANUEL KANT (1724 -1804) (Prof. José Antônio Brazão.)

FILOSOFIA EM POESIA IMMANUEL KANT (1724 – 1804)
(Prof. José Antônio Brazão.)
Numa cidadezinha alemã
Nasceu Immanuel Kant.
Konigsberg era chamada.
Até longa idade anciã,
Ali, uma vida, a cada instante,
A grandes estudos dedicada.

Ao mundo da filosofia
Com afinco se dedicou.
De filósofos as ideias
E da newtoniana ciência
Igualmente se informou.
Ícones da cultura europeia.

Veio a trabalhar na universidade.
Tão dedicadamente lecionava
Que se tornou respeitado professor.
Na busca da verdade,
Horas a fio estudava,
Vindo assim a ser grande escritor.

Seus atos eram metódicos.
Na praça sempre caminhava
Pontualmente na mesma hora.
E o tempo de seus relógios
Cada morador acertava,
Certos de como do dia a aurora.

De David Hume estudado,
Este despertou Kant
De seu sono dogmático.
Levando-o num rumo acertado,
Crítica da razão doravante
Resolveu começar de imediato.

Do confronto entre o empirismo
E o forte racionalismo
Nasceria com Kant o criticismo.
Não só da experiência
Mas também da razão
Provém a humana ciência.

Da experiência sensorial
O contato com o mundo
Do entendimento abre portas.
Mas a priori, conhecimento tal,
Independente do empírico,
Surge na forma de ideias abstratas.

Da humana sensibilidade
Há duas formas a priori:
O espaço e o tempo.
Toda a inteligibilidade
Do mundo delas depende,
Incluso o científico conhecimento.

Sintético a priori
O científico conhecimento é:
Síntese da sensibilidade os dados
Com a abstrata racionalidade.
Nas leis da newtoniana física e até
Nos matemáticos teoremas formados.

No campo da moral
A Crítica da Razão Prática
Propõe que dos éticos valores se veja
Uma perspectiva racional.
Cada humana ação deve ser tão certa
Que seu princípio universalizado seja.

O que é Iluminismo?”,
Perguntou um intelectual.
E Kant respondeu com segurança:
É dar às pessoas o direito
De poderem refletir
Com sua própria cabeça.

Muita gente por condutores
É política e religiosamente conduzida,
Pois mais fácil é de as controlar:
É preciso libertar-se dos tutotes,
Da preguiça e de posição comodista
E um novo pensamento ousar.

Na política mundial,
Das leis internacionais
Novo modelo é necessário:
Organização universal
Dos países gerais,
Evitando males e conflitos arbitrários.

A convergência dos interesses
Em prol do bem comum
Deveria surgir de maneira recíproca.
Um acordo que abrangesse
De todas as nações um quórum
A levar todas a uma paz duradoura.